RECEBA NOSSAS NOVIDADES! CADASTRE-SE

TRAVELLING

Bonaire

Por: Marcello SanzzoneINDIQUEIMPRIMIR

Bonaire

BONAIRE

Por Marcello Sanzzone

ESTAMOS NA TERCEIRA AVENTURA, ESPERO QUE VOCÊS ESTEJAM GOSTANDO, TENHO MAIS ALGUMAS COISINHAS PARA FALAR E DICAS PARA TODOS QUE AMAM VIAJAR.

Essa história de escrever sobre as aventuras de mergulho, está começando a ficar séria. Quando meu amigo Mauricio Faria Marques me ligou, achei divertido, nunca achei que levava jeito, mas minha ex-namorada (Xereia) me disse para tentar.
Dessa vez, os protagonistas, Everaldo, Andre e eu, estávamos em Sorocaba, almoçando, depois de uma sessão de treinamento na pedreira. De repente Andre teve a idéia de passarmos o réveillon em algum lugar mergulhando. Everaldo, logo aceitou.
Queríamos um lugar fantástico, quente e com o que fazer durante a noite do reveillon. Diante dessas prerrogativas, logo sugeri Bonaire, Caribe Venezuelano.
No começo éramos quatro, Aline, namorada do André também fazia parte. Depois de dois meses, viramos um grupo de nove: André, Aline, Everaldo, Eu, Ju (Xereia), Frank, Alessandra, Daniel e Daniela.
BONAIRE

É uma ilha preparadíssima para mergulhadores. Não tenho dados precisos, mas acredito que o turismo local é baseado em mergulho, pois é impressionante a facilidade e organização dedicada à atividade. André achou uma casa para alugar, falou com a proprietária, que mostrou fotos bacanas. Todos ficamos com um pouco de medo, mas... , quando ele fez a reserva incluiu duas caminhonetes, aí o medo aumentou, podíamos ficar a pé e dormir no aeroporto. Ale ficou responsável pelos aéreos. Tudo certo, mas aqui cabe uma dica: temos que fazer uma escala na Venezuela, tomem cuidado com seus equipamentos. Eu levava reguladores e lanternas na mochila. Claro que isso pode ser embarcado, mas quando passei no raio X do embarque e detectaram esse equipamento, me disseram que deveria despachar, não poderia embarcar com aquilo no avião. Bem, fui roubado, nunca mais vi meus reguladores e lanternas.

AVENTURA

Truba, um amigo, reservou na Boddy Dive, nosso primeiro atendimento, onde apresentamos nosso certificado internacional de mergulho, pagamos uma modesta taxa, fizemos um teste de flutuabilidade e separamos nossos cintos de lastro. Tudo isso no porto, perto de um navio de cruzeiro. O lugar é lindo, com recifes artificiais. Mergulhar em torno do navio e abaixo dele foi muito legal. Meus companheiros fizeram um mergulho rápido, mas eu e a Xereia fomos até o navio. Lá embaixo ouvimos um alarme e depois de alguns minutos o motor do navio foi ligado. Foi um grande susto, mas também mais que isso, foi um mergulho inesquecível.
Em Bonaire, o grupo para mergulho sai das praias e o carro é base de apoio. Paramos em uma casa que mantém um sistema de drive true, isso mesmo, drive true de cilindros, que funciona assim: você para o carro, pega quantos cilindros quiser, coloca-os na caçamba e sai para mergulhar, quando o dia termina você devolve os cilindros e, se desejar, pega mais para o dia seguinte. Temos também a opção de mergulhar com misturas de Nitrox.
Como saber onde entrar na água? Fácil. A estrada que circula a ilha, tem em sua lateral algumas pedras coloridas que contém a indicação de ponto de mergulho. Simples assim, porém bem funcional.

MERGULHOS IMPERDÍVEIS

Karpata
Dentro do parque nacional, tome cuidado. O mergulho é lindo ao lado de um paredão de 80 metros, um desses mergulhos que eu não me aguento e acabo indo fundo. A coluna de água me hipnotiza. Olhei para a Xereia e ela já estava com cara de quem ia aprontar, despencamos para o fundo.
Salt Píer
Mergulho bom, com águas calmas que facilita a entrada e saída. Bonaire é um grande exportador de sal, e esse lugar é um porto utilizado para carregar os navios.
Hilma Hooker
Um cargueiro logo depois dos corais. Está tombado de lado e seus porões são de fácil acesso. Para os que tem treinamento de naufragio, é possível nadar dentro dos porões. Mas cuidado, as passagens para os decks inferiores estão cheias de óleo diesel e a visibilidade é zero.
Píer Boddy Dive
Não gosto de mergulho noturno, mas sua beleza é inegável. Como dizem por ai, se está no inferno, abrace o capeta, o mergulho noturno é realmente lindo. Os tarpoons aprenderam que se seguirem os mergulhadores com suas lanternas, conseguem ver mais facilmente os cardumes de peixes e fica mais fácil jantar.
Light house
Mergulho complicado. O ponto de mergulho fica do lado oceânico da ilha e o mar é bravo. Tivemos que adentrar por um trecho com pedras e ondas enormes. Escorreguei três vezes, então resolvi pedir licença para o mar, e só assim consegui entrar. A água é de um azul impressionante, os corais são completamente diferentes dos que já vi e os animais não têm medo de nós.
Agora para os participantes da viagem: fiquem tranquilos, não vou falar sobre a festa de réveillon, a salsa com a venezuelana, o trancado no ba-nheiro. Tá bom, tá bom, eu falo que fui eu quem estava meio, só meio alegre e entrei no tanque de água doce, onde lavam as máquinas fotográficas. Eu queria tomar um banho..
No dia seguinte seguimos para Curaçao. Mas esta é outra história.
Beijo e nitrogênio à todos.
Cello

Comentários

2010-2013 Revista NINE - Todos os direitos reservados.

contato@revistanine.com.br
desenvolvido por Natus Tecnologia