RECEBA NOSSAS NOVIDADES! CADASTRE-SE

TRAVELLING

Boston

Por: Marcello SanzzoneINDIQUEIMPRIMIR

Boston

Boston

Boston

Boston

A cidade é linda, parece que estamos na Inglaterra. A arquitetura tem personalidade própria, com prédios modernos, como o Prudencial, o mais alto da cidade, e que tem na cobertura um restaurante que vale a pena conferir, pois a vista é, sem dúvida, a mais bonita da cidade. Essa beleza só pode ser comparada à oportunidade de velejar no Charles River e ver Boston numa margem e Cambridge na outra. É realmente inesquecível. Os passeios de veleiro podem ser agendados no Clube Municipal de Vela, que fica às margens do rio, é só fazer uma prova bem simples e sair para curtir a brisa e a paisagem.
Assim que a Daniella, uma grande amiga brasileira chegou, fomos velejar e demos muita risada relembrando quando velejamos juntos pela primeira vez há 16 anos.
Para os que não velejam há outra maneira de conhecer o rio, é só fazer um “Duck tour”, passeio realizado em antigos carros anfíbios, usados em combate, e que levam turistas para conhecer a cidade e fazem um percurso pelo rio. É um passeio imperdível.
Confesso que quando cheguei aqui não estava muito feliz e me perguntava todos os dias o que estava fazendo num lugar tão frio. Não demorou comecei a conhecer pessoas que moram aqui, e que começaram a me mostrar lugares muito mais que especiais. Fomos esquiar em Killinton e Wachusett, lugares encantadores. Killinton fica a 3 horas de carro de Boston, com pistas gigantescas, uma delas desce por quase duas horas, e quando pensamos que chegamos, avistamos uma casinha de madeira, construída no penhasco e tem um deck onde é possível tomar champanhe, cerveja gelada e comer wafle. É incrível, e todos que fazem essa parte da montanha param nesse local, há muita gente bonita. Depois disso tudo ainda há uma hora de descida. Além dessa existem mais 25 pistas, e é numa delas que a equipe americana de esqui treina para as Olimpíadas. Já wachuset é menor e mais modesto, mas tão lindo quanto.
Como eu havia esquiado uma vez só e há muito tempo, contratei um instrutor e comecei por Wachuset. Lá é possível alugar todo o equipamento e partir para as aulas. como bom brasileiro e ser do sexo masculino, fiz duas horas de aula e dispensei o instrutor. Peguei meu Skilift, e só para esquentar, resolvi ir para uma pista fácil, acreditando que já poderia ir para as Olimpíadas de Inverno, HAHAHAHA... mas ao fazer a última curva da descida tomei um ‘capote’ para nunca mais esquecer. Tudo bem, com paciência deu tudo certo e depois de 10 dias só não me arrisco nas pistas pretas (pistas de esqui se qualificam por cores, verde, vermelha, azul e preta, e ainda “black Diamond” e “doble Diamond”). A dica aqui é usar a estrada, que é linda e encontramos pelo caminho lanchonetes que servem sanduiches de queijo fabricado na região. É delicioso.
Voltando a Boston fiz alguns passeios pelo centro da cidade, onde existe um parque igual ao Ibirapuera (SP). Esse parque chama-se Boston Comon e dele sai a “Freedow trail”, que é uma linha de tijolos vermelha, no chão, que cruza a cidade e passa por vários pontos importantes e explica cada um deles. Essa trilha tem sete quilômetros e é imperdível.
O tempo foi passando e um dia conversando pelo skipe com uma amiga ela, que já morou aqui por um tempo, decidiu que estava precisando de férias e que viria no fim da semana”, achei que era brincadeira, mas ela veio mesmo. Foi com ela que velejei, e como ela conhece tudo por aqui, vou deixar umas dicas By Daniella Bellandi.
Comer no Rino’s, restaurante Italiano com massas especiais, vale a pena provar algum prato com lagosta que, além de barato é muito bom, o camarão com espinafre também é fantástico, mas a grande atração do local é o Tiramissu, segundo a Dani, melhor que o da Itália.
No final da tarde ir à Sae Port District, para ver o pôr do sol, que é um show a parte, e claro, comer. O restaurante pode ser O Mexicano, com margueritas e pratos espetaculares, ou o Legal Sea Food com atum e sangria, mas a sobremesa tem que ser na churrascaria, bolo de chocolate ou “chesscake”.
Andar entre o Fenway Park e o Quincy Market também é uma grande pedida. É possível ir acompanhando o rio e voltar pelo parque.
Fenway Park – estádio dos Red Sox, time de baseball local, quem nunca viu uma partida não deve deixar de ir.
TD Garden, estádio dos Celtics, time de basquete, não estão muito bem, faz tempo que não ganham nada, mas é também estádio dos Bruins, atuais campões da Stanley Cup.

CIDADES VIZINHAS

Martha’s Vine Yards, ilha ao sul de Boston, onde foram filmados Tubarão 1, 2 e 3.
Cape Code, bom para pegar praia.
Rock Port, excelente para almoçar frutos do mar.
Newburry street, a Oscar Freire de Boston, é a rua mais charmosa dessa região, com muitas lojas, cafés, restaurantes.Todas as marcas que imaginar estão presentes.
Mayne, cidade ao lado de Cambridge, 1 hora de carro, tem um super “outlet”, onde os preços são irrisórios, e para melhorar a cidade é uma delicia.
Enfim pessoal, programação não falta por aqui, o povo é bem educado e receptivo e o inglês bem fácil de entender.
Abraços, já estou pensando para onde ir na próxima edição.
 

Comentários

2010-2013 Revista NINE - Todos os direitos reservados.

contato@revistanine.com.br
desenvolvido por Natus Tecnologia