RECEBA NOSSAS NOVIDADES! CADASTRE-SE

HOBBY & SPORT

África do Sul - Golf

Por: Durval PedrosoINDIQUEIMPRIMIR

África do Sul - Golf

África do Sul - Golf

Nesta edição estamos apresentando nosso novo articulista, que vai comandar a coluna NINE Golf, Durval Pedroso, que é o atual Vice Presidente Técnico da Federação Paulista de Golfe. Este paulistano, nascido a pouco mais de 40 metros da Avenida Paulista, com mais de 5 décadas no golfe, é economista e empresário na área de engenharia financeira, e como ele diz “Em um clube de golfe eu só não fui porteiro e tratorista”, pois foi capitão de golfe, presidente do clube, conselheiro e presidente do consenho deliberativo. Sua paixão pelo golfe é atávica e vem de família, seu pai foi um dos pioneiros no golfe brasileiro, pois se tornou profissional em 1944. Mas sua grande paixão mesmo, é por um programa que ele criou e comanda há mais de 5 anos, o Golfe Nota 10, que é o programa de maior sucesso no golfe brasileiro, pois inovou na metodologia de levar o golfe ao conhecimento das crianças, através das aulas de educação física nas escolas de primeiro grau, tanto públicas como particulares. Ele em nossas páginas, vai falar do esporte,dos equipamentos, dos torneios, dos campos e das viagens, que tanto os golfistas gostam, e nesta primeira edição vai falar um pouco de sua última viagem a África do Sul.

GOVERNO DA ÁFRICA DO SUL

Fui convidado pelo governo da África do Sul, mas precisamente pela SAT (South Áfrican Tourism) a Embratur deles, para participar do Meeting Africa 2012, que ocorreu na Cidade de Johannesburgo, na última de semana de fevereiro. O evento foi um encontro da mídia mundial, com os orgãos responsáveis pelo turismo na África do Sul, sua rede hoteleira de resorts, parques, campos de golfe, como também com operadores de lá e de diversas partes do mundo. Com uma semana de atividades, super intensas que culminou com a visita a 3 magníficos campos de golfe e a uma festa com golfe noturno, onde todos os golfistas presentes puderam lançar no ceu Africano suas bolas fluorescentes, que em cores cítricas fizeram um verdadeiro caleidoscópio. Com esta segunda viagem a África do Sul, conheci 12 campos de golfe, quase todos eles melhores que os nossos melhores, mas o que é muito pouco para um país que tem 400 campos em seu território que não é tão grande como o nosso Brasil, a diferença é que por aqui temos somente 115 campos. Constumo dizer que não há campos de golfe feios no mundo, somente mais bonitos, e na África do Sul, isto é,mais que uma realidade. Uma coisa que pude constatar que é mais que verdadeiro o mote criado para o turismo de golfe “leave ordinary behind”, deixe o comum para trás, pois seus campos na sua grande maioria são links (campos onde a natureza é preservada ao máximo), apresentam sempre grandes supresas, sejam aqueles encravados nas reservas de animais, sejam aqueles nas savanas, próximos ao seu belo litoral ou mesmo na montanha. Durante o painel BRICS DISCUSSION no Meeting, tive a oportunidade de fazer dois comentários em tom de bricandeira a televisão da África do Sul (SATC), que realmente pode representar muito para nós golfistas brasileiros, o primeiro é que com 400 campos de golfe, a África do Sul além de ser uma dos maiores destinos de golfe no mundo, com o clima igual ao nosso e com um povo para lá de acolhedor, é quase um paraíso na terra. E o segundo comentário, que foi mais uma sugestão ao CEO da SAT, se tiver voo direto entre São Paulo e a Cidade do Cabo (hoje é direto para Johannesburgo), portanto com só 5 horas e com a qualidade dos campos de golfe, dos hotéis, resorts, restaurantes e especialmente as vinícolas, muitos paulistas irão para lá nos feriados prolongados. E como bricamos com os nossos irmãos cariocas, vamos invadir sua praia. Pois os preços praticados no turismo da África do Sul, no golfe e fora do golfe, são inferiores aos dos nossos principais resorts aqui na nossa maravilhosa Bahia, só para dar um exemplo. Vamos falar neste primeiro artigo aqui na NINE, de forma relativamente suscinta sobre esses 3 últimos magníficos campos que visitei: Zebula, o Legend e o Serengeti. Os três campos são maravilhosos, pela qualidade da manutenção, mas especialmente pela qualidade do design, todos são links ( campos onde a natureza é preservada ao máximo) e apresentam uma qualidade excepcional nos greens e nos fairways, e suas bancas tem uma característica fundamental para o bom jogo de golfe, ou seja, todas são uniformes do primeiro buraco até o último, com compactação e altura de areia, que da ao jogador qualificado uma segurança extraordinária em suas tacadas. Todos tem uma academia de golfe, dirigida por profissionais que jogam o Sunshine Tour (principal tour de golfe profissional de toda a África). Conversando com os dois desses profissionais titulares desses campos, do Zebula e do Legend, tive a sensação que o Zambula apresenta as melhores condições para os iniciantes e para os amadores em geral, sem falar que sua área de treino (drive range) e bem mais completa. Já o Legend apresenta um campo mais desafiador, greens melhores e o design mais atraente, e tem sem duvida a melhor experiência que todo o golfista deveria ter durante a sua longa vida golfista, que e jogar o buraco 19. Para jogar este buraco e obrigatório o uso de helicóptero, pois o tee de saída está há mais de 420 metros de altura e seu Green incrustado numa reserva de floresta densa. Vale a viagem em emoção.
No caso do Legend, além do golfe, estão a disposição dos hospedes, atividades como, SPA, mountain bikes, quadras de tênis, quadra de voleibol, campo de futebol (muito bom), pescarias programadas, ski aquático, kite surfing, boats safaris, caminhadas pela mata, um centro onde você encontrada os leões brancos etc... e obviamente os famosos safaris na sua reserva particular. Deixei propositalmente para o fim o Serengeti, Golf and Wildlife Estate, localizado a menos de 40 minutos do centro de Johannesburgo, que abrigou em 2010, o Aberto de Golfe Sul Africano, com os maiores jogadores do mundo. Este campo com a assinatura do maior jogador de golfe do século 20, e que hoje é dos maiores designers de campo do Mundo, Jack Nicklaus, com seus magníficos 27 buracos, é o que podemos chamar de luxo com simplicidade ou como eles dizem “PLAY IN THE SPIRIT OF AFRICA”. Vale a pena conferir!
 

Comentários

2010-2013 Revista NINE - Todos os direitos reservados.

contato@revistanine.com.br
desenvolvido por Natus Tecnologia