RECEBA NOSSAS NOVIDADES! CADASTRE-SE

COMPORTAMENTO

MULHER

Por: Marcello SanzoneINDIQUEIMPRIMIR

MULHER

SHE WAS TURNED THE TABLE

No dia da mulher desse ano, me peguei conversando com um amigo sobre a situação que descrevo abaixo, inclusive coloquei nossas conclusões. O que vocês acham?
Sempre lemos matérias de mulheres se perguntando como funcionam os homens, lembro de ver em revistas receitas para segurar o homem amado, dicas de como agir para não perder o homem que você gosta, esse tipo de coisa. E na verdade, vou confessar uma coisa a vocês, sempre dei muita risada com essas revistas. Nunca li nada que me agradasse e, vou contar um segredinho, não existe “RECEITA”. Os homens, diferente das mulheres, não agem em bando. Tirando o comportamento sexual animal, somos todos muito diferentes.
Quando falo de comportamento sexual animal, não quis dizer uma transa louca, com pegação, suor e falta de ar, estou falando de comportamento instintivo. Sim, por muito tempo nós homens nos escondemos atrás de uma histórinha que dizia que o homem, quando traía, estava agindo por instinto, que o macho das espécies procuram a perpetuação da sua espécie... Aquela ladainha que todos já conhecemos. Isso dura centenas de anos e esse é um costume dominante mundialmente, independente de cor, continente, religião, situação econômica, nada interfere nessa regra, é dada como verdade absoluta.
Mas isso mudou, e foi uma mudança lenta e muito bem feita e estruturada, como sempre as mulheres nos dando um baile...
Há cem anos o patriarca da família tinha “direito”a ter quantas amantes quisesse a esposa já esperava por isso. Fidelidade era uma coisa dita da boca para fora. Depois passamos a ter que esconder um pouquinho, não era legal a nossa família saber, mesmo que a nossa esposa soubesse. Em seguida, tivemos que passar a esconder, inclusive de nossa própria esposa. Que absurdo mulheres! Vocês nos fizeram traí-las duas vezes, uma tendo outra e duas, tendo que mentir. Nessa época foram criadas as melhores histórias já feitas pelo homem, éramos mestres em criar situações e pasmem meninas, realmente acreditávamos que vocês engoliam. Bobos nós! Enquanto isso, elas mudavam o comportamento da humanidade. Ai, chega uma época que a amante acha que tem direito a exclusividade, que pode brigar, ficar brava porque o homem não vai passar Natal e Réveillon com ela e prefere passar com a família oficial. Daí por diante amigos, foi morro abaixo, nossa decadência total. Perdemos absolutamente todo o nosso reinado, poder, espaço, tudo!
Estou errado? Pensem bem amigos, somos testemunhas vivenciais do que estou dizendo. O mundo mudou, e para muito pior, pelo menos para nós. Hoje em dia, enquanto somos jovens e burros, burros não sei se deixaremos de ser algum dia, mas envelhecemos, nos relacionamos com mulheres de todos os tipos e achamos que estamos abafando. Enfim, sendo realista, pegamos geral. Mas quem nós pegamos geral? Será que as meninas que saem conosco, só saem conosco?
Amigos, o jogo é o inverso, elas estão pegando geral! São elas que estão com as rédeas nas mãos! No passado, quantas vezes vocês deram a desculpa – “Oi fulana, adoro você. Você é realmente uma mulher fantástica, mas estou em uma fase da minha vida complicada, não tenho tempo para nada, estudo, trabalho, e não acho certo te deixar esperando”. Quantas vezes você sumiu no final de semana e na segunda apareceu ligando para aquela gata dizendo tudo que ela queria ouvir ... Tem outra clássica – “Você é demais, te adoro, mas eu acabei de sair de uma relação seria e longa e não quero atropelar as coisas”. Agora pergunto a vocês, quantas vezes já se viram do lado contrário dessas situações nos dias de hoje? Está vendo, estou certo! Temos que entrar em alerta vermelho, defcon 4, qualquer coisa que mostre a gravidade eminente pela qual estamos passando. Vou dar a última cartada agora, o golpe de misericórdia para vocês que ainda não se convenceram: antigamente só amávamos nossas mães, no máximo nossas irmãs, nossas esposas nunca. Hoje em dia, quem nunca chorou de amor, quem nunca sofreu por um amor não correspondido, quem nunca fugiu de uma mulher?
Antigamente, tínhamos o direito de não ligar no dia seguinte e desligar o telefone para não atende-las. Hoje em dia, quando saímos com alguém de quem gostamos, ficamos torcendo para no dia seguinte, elas ligarem ou atenderem.
Antes, as chamávamos de esposas. E agora as elevamos a patente de Parceiras, e essa palavra tem um peso absurdo. Passamos a reconhecê-las, e claro que elas merecem e lutaram por isso, se tornaram maiores e melhores, inclusive pela atitude de terem tirado a coleira e a venda dos olhos. Mas amigos isso fez parte de um plano que foi meticulosamente armado.
Meninas adorei o plano de vocês, estão de parabéns! Como sempre, vocês são espetaculares em tudo que fazem. A atitude de vocês nos fez sofrer muito, mas não por não termos mais amantes, por ter acabado nossos dias de esbórnia ou por qualquer futilidade que possamos ter perdido o direito de fazer. Agradeço a vocês, por terem nos mostrado o que é amar e como isso pode ser bom, construtivo. Como isso pode nos fortalecer e principalmente, como é mais divertido. Agora, peço a vocês que sejam mais uma vez superiores e usem toda inteligência de vocês e não descontem em nós todo sofrimento que já fizemos vocês passarem por sermos idiotas e infantis, às vezes.
Um beijão a todas vocês e para vocês meninos, força! Temos que sobreviver e tomara que encontremos uma Parceira de verdade e tenhamos discernimento para reconhecê-la e tratá-la como merece.
Ah! Vou deixar uma dica para vocês meninas! Sempre defendi a idéia de que vocês, quando resolvem nos superar, tirando coisas que dependem de força e físico, vocês nos colocam no bolso. Mas acreditem, vocês não dominaram o mundo, porque ainda são muito desunidas.
 

Comentários

2010-2013 Revista NINE - Todos os direitos reservados.

contato@revistanine.com.br
desenvolvido por Natus Tecnologia