RECEBA NOSSAS NOVIDADES! CADASTRE-SE

HOBBY & SPORT

GOLFE ESQUECER AS ILUSÕES E SER FELIZ.

Por: Durval PedrosoINDIQUEIMPRIMIR

GOLFE ESQUECER AS ILUSÕES E SER FELIZ.

GOLFE ESQUECER AS ILUSÕES E SER FELIZ.

GOLFE ESQUECER AS ILUSÕES E SER FELIZ.

Na vida como no golfe, precisamos rever nossas ilusões, pois quase sempre damos uma super dimensão para as nossas maiores crenças, brotem elas das mais diversas fontes.
    Às vezes pensamos que somos super atletas, que pulam grandes obstáculos, que temos enorme capacidade de aprender e executar um número de tarefas de qualquer ordem e tamanho. Mas parece que no golfe, essas ilusões devem ser encaradas mais profundamente para que você aproveite melhor este magnifico esporte o quanto antes.
    Para começar precisamos entender que para se fazer um grande campeão de golfe, além de talento natural, precisaríamos ter começado muito jovem e dedicado pelo menos 10 anos afinco de muito treinamento quase que diário, com uma equipe de apoiadores de primeira ordem, professores e técnicos.
    Como isto não deve ter ocorrido com mais de 99,9% dos jogadores, a grande ilusão a ser reparada é que quando se começa a praticar o esporte na fase adulta da vida, poderemos ser no máximo um bom jogador amador (até um scratch), mas jamais seremos um campeão profissional, portanto evitar sofrer desta ilusão é dever de todos. Além do mais, você deve entrar no golfe em qualquer fase de sua vida, em especial na sua fase adulta, pelo que ele tem de melhor que é o contato com a natureza e com os amigos. Fazer novos amigos no golfe, é uma tremenda facilidade, pois jogar uma partida de aproximadamente cinco horas, batendo papo com algumas pessoas, sempre será possível identificar aqueles que fazem parte de sua tribo, como dizem os jovens, hoje.
    Reparada  a ilusão do grande campeão, temos que passar para uma outra ilusão, que é aquela que pensamos que lendo livros, vendo vídeos e explicações especiais sobre os grandes jogadores, poderemos fazer algo parecido, isto, já quase impossível na vida e no golfe, com mais certeza ainda. O Tiger Woods, o Phil MIlkeson e outros campeões, além de iniciarem suas carreiras muito cedo, tem algo a mais que os diferem pela genialidade. E aqui também vale o exemplo de outros esportes, como é caso do futebol, que é o esporte mais praticado no mundo, onde os fora de séries são no máximo uma dezena deles, portanto não adianta ver filmes e vídeos, do Messi e do Neymar, que você não será capaz de fazer o que eles fazem.
    A ilusão de aprender tudo com os grandes do golfe, também deve ser passageira, para que você, com pequenas dicas e detalhes destes grandes jogadores, possa aprender a melhorar o seu jogo de golfe.
    Outra ilusão, que precisamos saber domar, nós golfistas, sequer admitimos uma revisão, é a ansiedade pela busca constante do melhor equipamento, e os tacos de última geração, parecem uma catarse coletiva dos jogadores amadores. Esta ilusão é muito bem percebida pela indústria do golfe, que se esmera para o lançamento de novos produtos o ano todo, onde um drive ou uma vara de taco, de última geração promete a melhora de desempenho que você jamais vai conseguir.
    Costumo brincar que a boa flecha ajuda, mas quem faz diferença é o índio! Portanto, nós índios praticantes de golfe, temos que colocar de lado a ilusão da magia da performance conseguida pelos novos equipamentos, trocando o tempo e o dinheiro gasto nisto, para treinar, jogar e tomar aulas, muito mais do que fazemos hoje em dia.
    Outra ilusão que precisamos dominar, é aquela que, se tivéssemos muito mais tempo para jogar golfe, jogaríamos sempre melhor, isto é pura fantasia que atrapalha em muito o seu prazer de jogar este esporte. Jogue, obviamente, o máximo que você puder, mas lembre-se, das ilusões acima comentadas, não existe mágica eterna no golfe que faça um jogador jogar sempre bem, e isto vale também para os profissionais, mas eles diferentes de nós, reles amadores, que ficamos transtornados, sabem bem disso e não se esquentam.        Outra ilusão vivenciada pela grande maioria dos jogadores amadores é a esperança que quando eles forem de handicap de um dígito (os melhores jogadores, os scratchs) eles serão mais felizes na prática do golfe. Pura ilusão e sem qualquer correspondência lógica, e aqui, posso afirmar como um veterano scratch de muitas décadas, que esta correlação não existe. A felicidade no golfe deve ser alcançada, no nível de médio de handicap que você consegue jogar sem muito esforço ou stress, e não importa se você tem um handicap abaixo de Nove (os scratches) ou acima de 25 (os teoricamente piores jogadores). Não se esqueça de que a grande diferença deste jogo é o handicap que nivela o jogo das diferentes categorias de técnicas. Esta ilusão no golfe é semelhante a da vida, quando se espera ganhar muito milhões para ser feliz.
             Todos nós precisamos rever sistematicamente as nossas ilusões, elas sempre vão e voltam, isto vai fazer muito bem para o nosso jogo e para nossas vidas. Curta o golfe na plenitude do seu nível, não invente não se cobre demais, não ultrapasse os seus limites, ponha realmente de lado as ilusões, você irá praticar um golfe mais alegre e muito mais gostoso.         Cultive isto e espalhe para os seus amigos, o resultado desta comunhão transformará qualquer partida de golfe em algo especial.

Comentários

2010-2013 Revista NINE - Todos os direitos reservados.

contato@revistanine.com.br
desenvolvido por Natus Tecnologia